o SOFTWARE pode ser chamado de SISTEMA?

Vários profissionais que atuam no mercado utilizam a palavra SISTEMA para denominar um produto caracterizado como SOFTWARE, desta forma,  a palavra SISTEMA  pode ser utilizada como sinônimo de SOFTWARE? Todo SOFTWARE pode ser classificado como SISTEMA?

Segundo Sommerville, Pressman, Paula Filho e Pedrycz, o termo SOFTWARE é definido como um programa de computador, uma seqüência lógica de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação de um determinado conjunto de informações. SOFTWARE, também, pode ser classificado como um conjunto de produtos desenvolvidos durante o processo de software, por exemplo: programa de computador, manuais, especificações e planos de teste.

Já Ludwig von Bertalanffy define SISTEMA como um conjunto de elementos que se conectam, harmonicamente, com o objetivo de formar um todo unificado (é importante afirmar que isso acontece com o SOFTWARE, somente quando o mesmo é dividido em partes). Em grego (primeira língua a utilizar a palavra em questão), SISTEMA significa combinar, ajustar e formar um conjunto. A partir da obra de Bertalanffy, é possível inferir alguns conceitos primários da teoria de SISTEMA:

1.     Todo SISTEMA está ligado à totalidade de um corpo de conhecimento ou a uma teoria específica (conceito aderente a idéia de SOFTWARE).

2.    Um SISTEMA pode sofrer constante mecanização ou automação agilizando, assim, a execução de seus processos (nesse caso o SOFTWARE passa a ser caracterizado apenas como uma ferramenta e não como um SISTEMA).

3.    Um SISTEMA só é criado quando surge uma nova teoria (conceito pouco aderente a idéia de SOFTWARE).

Com base nos relatos de Bertalanffy e nas definições de propostas por Sommerville, Pressman, Paula Filho e Pedrycz, acredito que SOFTWARE não deva ser denominado como SISTEMA, tal afirmação está alicerçada nos três conceitos destacados anteriormente.

Não podemos classificar como SISTEMA um SOFTWARE que controla a parte acadêmica de uma universidade ou de uma escola. O SISTEMA de controle acadêmico foi modelado  com o surgimento da própria universidade (datada do século XII) ou da própria escola. Foi com a criação da “teoria sistêmica universitária” que os processos de controle de freqüência, de matrícula e de controle de notas foram criados. O SISTEMA bancário pode ser considerado outro exemplo: o SOFTWARE ou um conjunto de SOFTWARES apenas automatizam o processo dentro desse SISTEMA (no Brasil tal SISTEMA surgiu em 12 de outubro de 1808). Não desenvolvemos o SISTEMA para controle bancário, mas um SOFTWARE para controle bancário.

Um dos poucos SOFTWARES que podem ser chamado de SISTEMA, é o SISTEMA operacional computacional, o qual surgiu com o advento do computador (uma nova teoria ou uma nova invenção).

Na maioria das situações, cometemos um grande erro ao denominar SOFTWARE como SISTEMA. Não é trivial criar um SISTEMA, podemos modelá-lo. SISTEMA está ligado a alguma coisa nova, a uma nova teoria, a uma invenção, a um novo paradigma.

É fundamental destacar que essa é a minha posição sobre o assunto. E a sua?

Prof. José Augusto Fabri

Fontes de Consulta:

BERTALANFFY, Ludwig von. Teoria Geral dos Sistemas. Tradução de Francisco M. Guimarães. 2ª. Edição. Petrópolis, Vozes. 1975.

About these ads

8 Responses to “o SOFTWARE pode ser chamado de SISTEMA?”

  1. Rafael Moreira Domingues Says:

    Professor José Augusto Fabri,

    muito interessante sua colocação. Porém, no ponto 2 acredito que o fato de o software ser uma ferramenta de um sistema maior o torna um sub-sistema; que por sua vez, também é um sistema. Não compreendi a relação entre sistema e uma “nova teoria”; Independente da “teoria” ser nova, um conjunto de partes cooperando entre si para gerar uma maior (como disse Bertalanffy, O Todo é maior que a soma das partes), caracteriza um sistema. O professor poderia esclarecer este ponto?

    Acredito também que a denominação de “sistema” para software seja uma abreviação de “sistema de informações”, que por sua vez é uma abreviação de “sistema de informações computacional”. Neste caso, o “sistema” de uma universidade deve ser entendido como o “Sistema de Informações Computacional da Universidade”.

    Saudações,

    Rafael

  2. Na minha opinião, quando nos referirmos a sistema, no contexto da computação, existe a compreensão que os dois conceitos (software e sistema) estão muito próximos um do outro, principalmente em termos práticos, já que um sistema computacional é visto como um software.

    Já em outro contexto, olhando para um sistema de forma macro, conceituamente como a administração propoe, temos algumas diferenças conceituais: Um sistema pode ser a relação cooperativa entre as partes de um processo integrado, que pode se aplicar também ao software conforme o texto demonstrou, mas também pode se aplicar a outras contextos.

    Para mim depende do contexto que se olha, se for no contexto da computação acho que são sinônimos.

  3. Há pouco tempo atrás, durante uma palestra descontraída no SBSI (http://www.sbc.org.br/sbsi/2008/index.html) o prof. Silvio Meira (http://blog.meira.com/) disse que, na verdade:

    - O que tem usuário é sistema, e não software;
    - O que custa caro é sistema, e não software;
    - O que “dá pau” é sistema, e não software;

    Assim como “Software” é mais do que “Ciência da Computação” (pois envolve, por exemplo, ciências socias para lidar com os usuário e seus requisitos ou design gráfico para preparar interfaces visuais), “Sistemas” são muito mais do que “Software”.

    É quase como, “Sistema é o software e mais um monte de coisa (processos, gente, infra-estrutura) funcionando no mundo real”.

  4. Hector Rodriguez Says:

    No meu conceito, Ludwig von BERTALANFFY é muito ambicioso ao querer delimitar tudo o que pode se chamar SISTEMA, somente desde o punto de vista biológico.
    Sem dúvida, é uma boa aproximacao dado o nivel de debate daquele tempo (meados do século XX). Porém, hoje o termo se encontra num nivel muito mais complexo e enriquecido pelas ciencias sociais e humanas, onde o ser humano é sujeito e objeto. Isto implica que um sistema pode existir independentemente da criacao de uma nova teoría explicativa. A falta de explicacao, nao limita a existencia de um sistema.
    Neste sentido pode se dizer que um SOFTWARE pode ser um SISTEMA, que por definicao contem sub-sistemas e é contido por outros super-sistemas.
    Certamente, este ultimo conceito; utilizado pelo sociólogo alemao Niklas Luhmann, é um dos componentes mais importantes na producao de software, refletida na crescente consideracao da ARQUITETURA DE SOFTWARE e na ARQUITETURA DA INFORMACAO na hora do desenvolvimento.
    Acredito que com o correr do tempo desenvolveremos solucoes a sistemas que ainda nao tem sido explicados intrísecamente, sem que isso constitua uma limitacao para a integracao do mesmo. Do mesmo jeito, esas solucoes farao parte de super-sistemas que nao requerirao sua explicacao ou síntesis.

  5. Caros Amigos:
    Agradeço os comentários e volto a ressaltar que o texto apresentado configura o meu ponto de vista sobre assunto. Hector, obrigado pela
    referência de Niklas Luhmann, prometo que analisarei. Marcelo, acredito que compartilho das opiniões de Silvio.
    Abraços a todos?

  6. Bons pontos de vista. Parabéns por dividir sua opinião conosco.

  7. Daniela Filipa Duarte Costa Says:

    Eu adorei

  8. Acredito que o software seja parte do sistema, e que quando esses softwares trabalham em conjunto, então forma-se o sitema.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 37 other followers

%d bloggers like this: