Como deve ser configurado o trabalho de conclusão em um curso superior de tecnologia?

 

A questão apresentada no título surgiu durante o processo de autorização de um curso superior de tecnologia (CST) de sistemas para internet.

Antes de ler minhas reflexões sobre o assunto, recomendo a leitura do catalogo nacional de cursos de tecnologia/  disponibilizado pelo Ministério de Educação e Cultura/.

É importante salientar que o trabalho de conclusão (TCC) em cursos desta natureza não é obrigatório. Eu, particularmente, acredito que deveria existir uma obrigatoriedade neste sentido, pois o TCC neste contexto, quando bem aplicado, poderia embutir uma maior qualidade na formação dos tecnólogos.

O TCC em um CST deve possuir um caráter prático. A partir desta premissa, a IES ao organizar o trabalho de conclusão de curso deve:

Configurar um banco de empresas que atuam na área tecnológica do curso proposto.

Com este objeto a IES responde uma das principais questões dos formandos: Ao terminar o curso, quais as empresas que me contratarão? A configuração deste banco, também, provê uma aproximação entre empresa e IES, o estabelecimento de parcerias, o que é interessante para ambos os lados.

O TCC deve ser encarado como uma disciplina que complementa às 2000 horas previstas para esta categoria de curso.

O professor da disciplina em questão será responsável pela organização da logística de todo o trabalho de conclusão. Ele deve materializar, com o apoio da IES, o banco de empresas; mediar à relação entre alunos e orientadores; estabelecer o calendário para o desenvolvimento do trabalho; ser um elo entre IES e empresa. A carga de trabalho deste professor é bastante intensa, minha sugestão que ele possua um bom número de horas (por semana) para realização destas atribuições.

O aluno deve possuir dois orientadores, um da IES e outro da empresa.

O orientador na empresa terá um contato diário com o aluno. Poderá direcioná-lo nas questões técnicas relacionadas ao mercado produtivo de software e, principalmente, poderá reportar a IES o desempenho do aluno. O orientador da IES irá prover subsídios metodológicos quanto à organização do TCC.  Dúvidas relacionadas aos problemas eminentes do mercado também devem ser sanadas por ele. Este último, também, é responsável por avaliar o aluno no desempenho de suas atividades. Seria interessante que ambos os orientadores trocassem informações sobre o desenvolvimento do trabalho.

Carga horária e as atribuições do formando na empresa

O tempo de permanência do aluno na empresa, para a configuração do trabalho, deve variar entre 200 e 400 horas. Vamos partir do exemplo que o aluno esteja matriculado em um curso superior de tecnologia de análise e desenvolvimento de sistemas. Neste caso o formando deve ter contato, no mínimo, com as atividades que permeiam um processo de produção de software. Se a empresa é uma subcontratada em um contexto de outsourcing o formando irá desempenhar as funções de programador e testador. Se a empresa aplicar todo o ciclo de produção, o formando deve ter contato com aspectos relacionados à modelagem, projeto, implementação e teste de software. É importante que o formando se especialize durante o desenvolvimento do TCC em uma ou duas atividades do processo.

Produto gerando com o desenvolvimento do TCC

Vários professores ligam o termo TCC à palavra monografia. Neste caso esta premissa não é, totalmente, verdadeira. Em nosso contexto, o TCC deve gerar artefatos pertinentes ao processo de produção de software.

Se o curso é de análise e desenvolvimento de sistemas, o aluno deve apresentar a banca examinadora, o modelo sistêmico, o projeto do software, a implementação e um relatório de testes.

Se o curso é de banco de dados, o aluno deve apresentar a estrutura do banco implementada, as normalizações e as SQL’s desenvolvidas.

Se o curso é de desenvolvimento de jogos, o aluno deve apresentar um jogo implementado. Projeto de interface, os aspectos de inteligência artificial aplicados ao jogo e o projeto do software em si, podem complementar a apresentação.

O nível de detalhamento de cada artefato vai depender do tempo de contato com cada atividade do processo.

Seria interessante que o futuro tecnólogo desenvolvesse um manual de utilização do jogo, do banco ou do software. Com isto aspectos ligados a comunicação e expressão fariam parte do escopo do TCC.

Composição da banca de avaliação

Fazem parte da banca de avaliação os professores orientadores e um terceiro professor da IES. A banca irá analisar os artefatos apresentados e argüir o formando.

Enfim, volto a salientar que a disciplina TCC em um CST não é obrigatória. Neste texto apresentei alguns pontos que poderiam ser implementados, caso a IES opte por oferecer a referida disciplina.  São sugestões e uma visão particular sobre o assunto. Cabe a sociedade balizar a pertinência ou não das palavras transcritas neste post. A discussão está aberta…

José Augusto Fabri

5 Responses to “Como deve ser configurado o trabalho de conclusão em um curso superior de tecnologia?”

  1. Eliana Feo Says:

    Concordo com sua interpretação sobre o TCC.
    Além disso, os cursos e Instituições dedicadas ao ensino profissionalizante apresentam algumas incongruências.
    De acordo com o Catálogo de Cursos, o Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas analisa, projeta, documenta, especifica, testa, implanta e mantém sistemas computacionais de informação. Ou seja, esse perfil não inclui a pesquisa.
    Entretanto, quando o MEC define a graduação do Tecnólogo afirma: os tecnólogos podem dar continuidade ao ensino cursando a pós-graduação Stricto Sensu e Latu Sensu.
    Quando ingressei em uma instituição de referência em ensino tecnológico, minha experiência profissional foi muito valorizada. Porém, passados alguns anos a exigência da titulação acadêmica apareceu. Consegui a titulação de Mestre em Instituição de primeira linha. Ou seja, a profissional da área, hoje é “pesquisadora” formada, mas que precisa ministrar 20 h.a. por semana.
    Isso é muito confuso, não? Mas, não acabou.
    Para atingir o grau máximo do plano de carreira dessa Instituição, o docente precisa obter o título de doutor e apresentar um nível de atividade de pesquisa consistente. Assim, provavelmente ele se qualifica para formar jovens para atuar no mercado de trabalho. Será?

  2. Muito bom Guto.

    Aqui na IBM tenho o projeto de mentorização de alunos, que justamente oferece as faculdades, a oportunidade de terem seu alunos co-orientados por profissionais. Da uma perguntadinha pro Almir ai, ano que vem vamos mentorizar alguns alunos ai a FEMA.

    Abraços.

  3. […] Como deve ser configurado o trabalho de conclusão em um curso superior de tecnologia? December 2008 3 comments 5 […]

  4. gilmar…

    […]Como deve ser configurado o trabalho de conclusão em um curso superior de tecnologia? « Engenharia de Software[…]…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: