Materializando o escopo de um projeto com mapas mentais

No início de 2008 fui convidado a ministrar o primeiro curso a distância da Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA). O curso foi oferecido gratuitamente a toda à comunidade, e tinha como objetivo mapear as potencialidades e fragilidades da instituição em EAD.

Após ministrar o curso fui incumbido de desenvolver um relatório para apresentar a direção acadêmica daquela instituição. Ao iniciar a redação do relatório, logo percebi que o mesmo tornar-se-ia, demasiadamente, extenso. Conseqüentemente a leitura de tal objeto tomaria um tempo considerável dos diretores.

Para minimizar o problema, resolvi materializar todas minhas impressões em um mapa mental. Antes de apresentá-lo é importante apresentar aos interlocutores deste blog a definição de mapa mental.

A idéia de mapas mentais foi proposta por Tony Buzan em 1942. Na época, o objetivo de Tony, era organizar suas atividades acadêmicas, nas quais essas utilizavam uma metodologia tradicional de anotações. Nosso personagem passou a utilizar cores diferentes em suas anotações e percebeu uma melhora significativa. Observando a literatura descobriu que os gregos já usavam uma técnica de memorização baseado na imaginação e na associação, posteriormente Buzan descobriu que Leonardo da Vince também era adepto da mesma técnica. Leo utilizava imagens, código e traços para ligar a suas idéias. De posse das prerrogativas implementadas por da Vince, Buzan formalizou a idéia dos mapas mentais.  

Um dos segredos do mapa é não entender o contexto de uma única vez, e sim, partir de uma idéia, a principal, e analisar cada nó do mapa.

A figura abaixo apresenta o mapa mental de um dos post post materializado nesse blog. Seria interessante que você analisasse o mapa e posteriormente fizesse uma leitura do post. Suas considerações sobre a tema (deste post) pode ser enviado nos comentários. 

exemplo de mapa mental

exemplo de mapa mental

Gostaria de ressaltar, por experiência própria, que mapa mental é uma ferramenta interessante para definir o escopo de um projeto de software. A figura abaixo materializa justamente essa idéia.

mapas mentais na definição do escopo de um projeto de software

mapas mentais na definição do escopo de um projeto de software

Ferramentas e informações que materializam o referido mapa podem se acessados por meio dos endereços:

http://www.xmind.net/downloads/

http://www.easymapper.com.br/download.htm

http://www.mapamentais.com.br

Também tive a oportunidade de orientar um trabalho de conclusão de curso que aplica mapa mental em requisitos de software. Os resultados serão disponibilizado em breve.

Que tal aplicar os mapas mentais em nossos projetos.

Em tempo, acompanhe o blog engenhariasoftware no twitter, acesse: http://twitter.com/engsw, lá divulgarei antecipadamente o tema do próximos post do blog.

José Augusto Fabri

fabri@femanet.com.br

4 Responses to “Materializando o escopo de um projeto com mapas mentais”

  1. Luis Ricardo T Ramalho Says:

    Olá Professor Guto, antes de tudo parabéns pelo POST, realmente muito interessante a questão dos mapas mentais, confesso que me agregou muito valor! O que eu gostaria de atentar aqui é uma tendencia explicita na área de TI do profissional ser alguém capaz de olhar a Gerencia de Projetos como algo sistemico, hoje podemos perceber a influencia que a gestão vem tendo para a perfeita concretização dos projetos, para isso é necessário que o Gestor de Projetos conheça cada fase do seu projeto e consequentemente saiba diferencia-la, outra fato para se atentar é que o escopo de um projeto com mapa mental pelo que vi nas imagens dá liberdade de exposição de fatos em relação ao assunto que está sendo discutido, é algo abrangente com a intenção de evitar falhas no projeto, da forma em que as informações são colocadas me lembra até o processo de planejamento estratégico da alta administração de uma organização, me interessei muito pelo assunto, confesso que vou pesquisar muito a respeito! Parabéns professor!

  2. […] de Tom De Marco), notações advindas do flowchart, o diagrama ER, ferramenta para criação dos mapas mentais e o diagrama de requisitos, artefato que potencializa o desenvolvimento de software utilizando a […]

  3. […] Ao esvaziar a production box, faça um balanço geral. Todos devem participar, apontando potencialidades e fragilidades relacionadas ao ciclo de produção (dados qualitativos). Dados quantitativos também devem ser analisados, por exemplo: tempo médio gasto para o desenvolvimento de cada funcionalidade, produtividade dos programadores frente a production box, dimensionamento (em horas de trabalho) das funcionalidades. Esta tarefa pode ser auxiliada por meio de uma planilha eletrônica ou um mapa mental. […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: