Escopo do Projeto como fator crítico de sucesso

No último biênio tive a oportunidade de participar de um projeto que tem como um dos objetivos construir uma rede para integrar as entidades de cunho social de diversas cidades do estado de SP.

A comunicação bidirecional entre entidades/entidades, entidades/imprensa, entidade/população e entidade/poder público será feita basicamente por um portal. As entidades sociais cadastram seus projetos, as pessoas atendidas por esses projetos e as promoções que possibilitam a arrecadação de recursos. A imprensa acessa o portal e divulga os projetos sociais e as promoções junto à comunidade. A comunidade também pode acessar diretamente o portal e captar as mesmas informações divulgadas pela imprensa, além de propor iniciativas que podem ser implementadas junto às entidades. O poder público utiliza as informações capturadas pelo portal para determinar políticas sociais. Número de pessoas atendidas dentro de um projeto social agrupadas por idade ou por rendimento familiar caracteriza-se como uma informação que pode ser utilizada pelo poder público. É importante salientar que o acesso as informações geradas pelo portal pode ser efetuado por dispositivos portáteis de comunicação.

Após apresentar os objetivos e algumas características funcionais do produto, proponho de uma forma ampla, duas formas de estruturar o escopo para o desenvolvimento do projeto. Lembro que o escopo caracteriza-se como a linha que une o ponto que você está ao ponto que você quer chegar. É de suma importância que essa linha consuma o menor recurso possível e possibilite a maximização da qualidade do produto ou serviço.

Escopo 1 –

A entidade financiadora do projeto contrata uma empresa de produção de software para construir o projeto.

A empresa de produção de software juntamente com as entidades elege uma cidade piloto para a construção do portal.

A empresa de produção de software constrói o portal com base nos requisitos da cidade piloto, é óbvio que a empresa desenvolve todas as parametrizações detectadas, lembre-se que o portal será utilizado por entidades sociais de outras cidades.

A empresa de produção de software implanta o portal na cidade piloto. Claro que isso não foi tão simples assim e nem tudo está rodando 100%.

A entidade financiadora abre um edital para prover a infra-estrutura de instalação do portal em outras cidades.  Equipamentos, treinamento, recursos humanos para a implantação do portal caracterizam-se como itens financiáveis.

A entidade financiadora elege alguns projetos, utilizando critérios pré-estabelecidos, e inicia o processo de implantação do portal.

Adivinha só o que está acontecendo durante a implantação!!!

Por maior que seja o nível de parametrização, o portal não adere às necessidades das outras cidades. As políticas públicas, a natureza dos projetos sociais varia de região para região e de cidade para cidade.

Conclusão: Projeto desenvolvido em 4 anos, investimento gigantesco, o produto é utilizado somente na cidade piloto.

Escopo 2 –

A entidade financiadora do projeto NÃO contrata uma empresa de produção de software para construir o projeto. Ela  juntamente com seu departamento de TI desenvolve um protocolo de comunicação de informação. Um documento que prevê como as informações devem ser integradas entre as cidades.

A entidade financiadora abre um edital para fomentar a infra-estrutura de construção do portal em cada cidade.

O edital prevê a participação de uma instituição de ensino superior da área de computação, de um professor e de um grupo de alunos do penúltimo ano da graduação na construção do portal. Em cidades maiores o número de instituições, de professores e de alunos é maior.

Os alunos serão remunerados com bolsa de estudo e o professor também receberá um montante financeiro para complementar seu salário.

Equipamentos e treinamentos para os alunos também podem ser contemplados no projeto.

Os alunos e o professor são responsáveis por colher os requisitos das entidades e construir o portal. Lembre-se que o formato das informações que chegarão à entidade financiadora deve contemplar as prerrogativas impostas no protocolo.

Neste caso as entidades e a cidade se sentem responsáveis pela execução do projeto. Existe uma aderência muito maior das funcionalidades as necessidades das entidades.

Conclusão: Projeto desenvolvido em 2 anos, investimento (que não foi gigantesco) utilizado para alinhar universidade e empresa dentro de uma esfera de auxílio social. Produto utilizado. Informações municipais compartilhadas entre entidades/imprensa/população/poder público.

Adivinha só qual foi o escopo escolhido pela entidade financiadora para o desenvolvimento do projeto?

Abraços

J. A. Fabri

fabri@femanet.com.br

One Response to “Escopo do Projeto como fator crítico de sucesso”

  1. […] que especificar requisitos é de extrema importância para definir o escopo de um projeto. Um projeto com o escopo bem definido pode minimizar a recorrência de problemas […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: