Aplicando os pontos por caso de uso para mapear a complexidade de um software

Pessoal,

Nos últimos meses, vários interlocutores do blog Engenharia de Software solicitaram-me informações sobre o mapeamento da complexidade de um software utilizando pontos por caso de uso. O objetivo deste post é justamente trabalhar esse tema.

A técnica para mapear a complexidade de um software por Pontos de Caso de Uso foi proposta em 1993 por Gustav Karner. Ela é baseada em duas outras técnicas – Pontos de Função e o Mk II (adaptação da técnica dos pontos por função, comumente utilizada pelos ingleses). A técnica mapeia a complexidade dos atores e dos casos e uso.

1 – Calculando a complexidade dos atores do software

Classifique os atores envolvidos em cada caso de uso, de forma a obter um somatório de pontos não-ajustado. A classificação de atores utiliza a tabela abaixo: o peso total dos atores do software (Unadjusted Actor Weight, ou UAW) é calculado pela soma dos produtos do número de atores de cada tipo pelo seu respectivo peso (vide tabela 1).

Tabela 1

Ator Interface Peso
Simples Interface de programa (API)

1

Médio Protocolo (Ex.:TCP/IP) ou interface em modo texto

2

Complexo Interface gráfica

3

 2 – Calculando a complexidade dos casos de uso do software

De posse do calculo da complexidade dos atores, podemos mapear a complexidade dos casos de uso do software (Unadjusted Use Case Weight, ou UUCW). O calculo é obtido pela soma dos produtos do número de casos de uso de cada tipo pelo seu respectivo peso (vide tabela 2).

Tabela 2

Caso de Uso Descrição Peso
Simples <= 3 transações ou < 5 classes de análise

5

Médio 4-7 transações ou  5 a 10 classes de análise

10

Complexo > 7 transações ou > 10 classes  de análise

15

 Aplicando a técnica

Para aplicar a técnica eu utilizo dois artefatos gerados pela atividade de projeto, o diagrama de caso de uso e o diagrama de seqüência. O primeiro mapeia a complexidade dos atores e o segundo mapeia a complexidade dos casos de uso. Veja os diagramas nas figuras abaixo.

caso de uso - PpCU

diagrama de sequencia - PpCU

No diagrama de caso de uso é percebemos a presença de 3 atores, dois deles interagem com o software por meio de uma interface gráfica (Gerente e Cliente) e um interage com o software por meio de um protocolo TCP-IP. Neste caso possui dois atores complexos (Gerente e Cliente) – peso 3 e um médio (Sistema de Proteção ao Crédito) – peso 2 (vide tabela 1).

Calculando: 2 atores complexos * 3 + 1 ator médio * 2 = 8.

No diagrama de seqüência (artefato que mapeia a realização de um caso de uso) é possível encontrar 4 transações (troca de mensagens entre os objetos). Ao consultar a tabela 2 eu percebo que a complexidade média é mapeada no intervalo de 4 a 7 transações – peso 10.

Calculando: 1 caso de  médio * 10 = 10.

Basta agora somarmos os dois valores obtidos para obtermos pontos por casos de uso não ajustados (18).

Você pode optar ainda por aplicar o fator de ajuste essa medida encontrada – tema este para um outro post.

Abaixo você encontra um vídeo sobre a aplicação dos pontos por caso de uso. Você também pode utilizar essa planilha (ref: www.cin.ufpe.br/~if717/) para automatizar o seu calculo.

 

José Augusto Fabri – fabri@utfpr.edu.br

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: